Barbalha pode adiar estreia no estádio Inaldão; Lúcio Cariri se mostra preocupado

PORToni Sousa
Apesar do otimismo, presidente do Barbalha não descarta pedir mudança do jogo da Raposa contra o Atlético Cearense. Foto: Divulgação
- Publicidade -

 

Depois da estreia vitoriosa no Campeonato Cearense o Barbalha já pensa no futuro. Enquanto o técnico Washington Luiz está trabalhando com o foco no jogo contra o Guarany de Sobral, dia 13 de janeiro, a diretoria já pensa na partida  do dia 16 de janeiro, contra o Atlético Cearense. O problema é que esse jogo está marcado para acontecer no estádio Lírio Callou, o Inaldão, mas o gramado do local ainda não está em condições de receber jogos.

Na tarde desta segunda-feira (07) o presidente da Raposa Caririense, Geisilúcio Gonçalves, também conhecido como Lúcio Cariri, esteve no estádio Inaldão. Após observar os trabalhos da reforma emergencial, ele se disse otimista, mas não escondeu a preocupação. O mandatário tricolor falou que vai encontrar o presidente da Federação Cearense de Futebol, Mauro Carmélio, e não descarta a possibilidade de pedir para que o jogo seja transferido para o dia 17 de janeiro, no estádio Romeirão, em Juazeiro do Norte.

Lúcio Cariri comemora o bom momento do Barbalha e sabe que o Inaldão pode ser um grande reforço para o time. “Jogar em casa é diferente. O clima do torcedor em nosso estádio é muito bom. No que depender de mim, o jogo será no Inaldão”, disse ele.