“Meu Tricolor de Aço” filme que conta a história do Fortaleza estreia hoje

Em várias salas de cinema do Estado do Ceará e em São Paulo, torcida do Fortaleza pode conferir o longa-metragem da história leonina

Tricolor declarado, Bráulio Bessa aparece no filme em conversa com o lateral-direito Tinga
- Publicidade -
Brisanet Interno

 

Uma paixão de milhões de cearenses invade as telas de cinema de todo o Estado do Ceará e de São Paulo: é o filme “Meu Tricolor de Aço”, que conta a história dos 100 anos do Fortaleza Esporte Clube. O documentário em longa-metragem, de 72 minutos, foi idealizado pelo ex-presidente Luís Eduardo Girão e retrata desde quando começou a instituição, em 1918, fundada pelo desportista Alcides Santos. Os produtores do filme entregaram a missão a um time de primeira, formado pelos renomados cineastas Glauber Filho, Valdo Siqueira e Tibico Brasil e é produzido e distribuído pela Estação Luz Filmes.

Uma das vantagens é que Glauber Filho e Valdo Siqueira, dois professores de cinema, e Tibico Brasil, são todos torcedores do Leão e confessaram estarem, sempre que a agenda permite, nas arquibancadas, incentivando a equipe, com suas vozes e talentos. Glauber Filho tem muita experiência na cinematografia espírita, tendo dirigido filmes importantes deste gênero.

Valdo Siqueira é o realizador do filme e sua especialidade são os documentários. Tibico Brasil é fotógrafo e realizador audiovisual. É também roteirista e diretor de documentários sobre meio-ambiente, cultura e esportes. Atuou por 20 anos como gestor nas áreas de comunicação, cultura e marketing do Banco do Nordeste e foi presidente da TVC.

Olhar diferente

O documentário foi iniciado no ano passado, quando os três cineastas se enfronharam no mundo do esporte, pondo em ação o olho clínico de intelectuais para um aspecto diferente, como o esporte. “No nosso trabalho, ao filmarmos os jogos, a nossa preocupação não era tanto o gol, mas outros pormenores”, disse Tibico Brasil. Por sinal, ele disse que os últimos cinco jogos da Série B de 2018 foram acompanhados de perto pela equipe do filme. “Nós procuramos a efeméride, que é o centenário. Ficou prazeroso porque os três torcem pelo Fortaleza, eu, o Glauber e o Tibico. E, no fim, ficou um trabalho muito profissional e apaixonante para a torcida”, disse Valdo.

Reconstrução

Os diretores fizeram a reconstrução da história e dos anos que antecederam a fundação do Fortaleza, em 1912, por exemplo, quando existia o Stella Foot Ball-Club. Os cineastas conseguiram ouvir pesquisadores, historiadores desportistas e cronistas esportivos mais antigos.

Descobriram que Alcides Santos fundou oito clubes e que o Stella jogou contra o Fortaleza no início, antes de encerrar suas atividades. O filme é também um registro histórico e patrimonial do Estado e é também composto de imagens de arquivos audiovisuais, fotografias e matérias jornalísticas. Enfim, uma grande atração.