PORMarília Falcioni
- Publicidade -

 

A tecnologia tem acelerado o processo de inovação e mudanças nas empresas. E quem não acompanha o ritmo está suscetível a ser superado por um concorrente que se mostre mais rápido, mais eficiente, que tenha um processo de comunicação mais inovador ou um produto mais barato e com mais comodidade.

Vale lembrar o caso da KODAK, que chegou a detinha 80% das vendas das câmeras e 90% dos filmes fotográficos em 1970. O fato é que ela inovou: criou a câmera digital, mas decidiu não utilizar a tecnologia e faliu em 2012. Destaco também o Blackberry, um celular que conquistou mais de 50% do mercado americano de celulares, e apresentou ao mundo o Smartphone, mas ao ignorar a tecnologia touch-screen do Iphone, ele se tornou retrógrado e ficou para trás. E para finalizar, relembro que há alguns anos, pegávamos filmes nas locadoras e estas deixaram de existir, afinal, a Netflix promoveu uma nova experiência de compra por um preço bem acessível.

Aí surge a questão, como fazer minha empresa ser inovadora? E respondo: a sua equipe deve ser inovadora. Para tanto, seguem algumas dicas:

  • Inovação no dia a dia

As pessoas só estarão motivadas a inovar, se isso fizer parte do DNA da empresa, ou seja, se nas reuniões esse assunto for tocado, se a equipe receber capacitações sobre o assunto (a nossa empresa costuma ministrar sobre design thinking); se a empresa trouxer consultores externos que podem colaborar com uma visão de mercado; se a direção tiver uma cabeça aberta para as mudanças e se a liderança tiver comprado a idéia. É interessante também que os colaboradores possam visitar outras empresas, seja do mesmo setor ou de outros setores para se inspirar em algumas soluções já implantadas, o que vai oxigenar a cultura da empresa.

  • Premiação da equipe

Crie um ambiente divertido e competitivo. Estimule a sugestão. Você pode colocar uma urna na empresa para que as pessoas façam sua colaboração e, as que tiverem suas idéias colocadas em prática, podem ser premiados com medalhas, troféus, caixas de chocolates, folgas, entradas no cinema, viagens. O prêmio pode também estra condicionado ao valor dos ganhos que decorreram da mudança implantada. Fica à critério da empresa. Enfim, o importante é não deixar passar despercebido.

  • Integração

Ás vezes as empresas são um pouco engessadas. A equipe do financeiro, só fala sobre finanças; a equipe do Marketing, só fala de vendas…e por aí vai. No entanto, quando colocamos as pessoas de vários setores para dialogar, isso tende a favorecer a criatividade, pois um gerente financeiro, que não está com a visão viciada, pode dar uma ótima sugestão para as vendas, ou pode fazer alguns questionamentos que permitam uma reflexão mais profunda das estratégias. Essa simbiose favorece a comunicação interna e a excelência dos processos também, porque os profissionais passam a conhecer com mais profundidade o trabalho do colega, o que gera empatia.

  • Tolerância ao erro

O erro faz parte do processo de inovação e aprimoramento. O importante é que assim que for detectado, seja corrigido. e que não volte a acontecer. Falhas são oportunidades de aprendizado, então deve-se fazer uma reflexão profunda sobre o ocorrido.
No Cariri, observamos que temos muitas empresas inovadoras, mas também temos forte presença da cultura da cópia. Creio que temos o potencial de sermos mais criativos e para isso, temos que profissionalizar e implantar as áreas de desenvolvimento; criar a cultura da inovação e temos que acreditar que podemos vender soluções para o resto do mundo SIM!